Lâmpada de Fenda: Um guia de como utilizar

Você não pode diagnosticar ou tratar um problema se não conseguir identificá-lo. E para isso, você precisa de alguns equipamentos. O exame da lâmpada de fenda é um procedimento de diagnóstico padrão muito importante para analisar a saúde ocular. Ele também é conhecido como biomicroscopia. A Lâmpada de Fenda combina um microscópio e uma lâmpada que emite uma luz muito brilhante para analisar estruturas internas e externas como, por exemplo, córnea, íris, cristalino, nervo óptico e retina central. Com esta análise é possível detectar doenças oculares como a catarata, glaucoma, lesão ou doença da córnea, descolamento da retina e etc.

Neste artigo, vamos apresentar um guia rápido de como utilizar uma lâmpada de fenda.

Posicionamento

O Profissional

Sente diante do paciente e coloque-o em posição. Se a lâmpada de fenda não estiver na altura certa para você, é muito mais difícil ajustar sua própria cadeira. Lembre-se de não ignorar sua ergonomia pessoal ou você se arrependerá mais tarde, quando os maus hábitos levarem a tensão no pescoço, exames ruins e fadiga. Portanto, coloque sua cadeira na altura correta para sentar-se confortavelmente e ajuste a mesa para poder sentar-se ereta enquanto olha através dos oculares.

Nunca abaixe a cabeça, nunca incline a cabeça, nunca use a lâmpada de fenda em pé.

O paciente

As etapas a seguir devem levar menos de 15 segundos quando você ficar rápido, mas ao iniciar pode demorar um pouco mais, não se preocupe com o tempo, a qualidade do exame é mais importante do que a quantidade. 

Primeiro ponto: é crucial que o paciente esteja confortável, pois assim é muito mais provável que consigam manter os olhos abertos, olhar nas direções que você quer que eles olhem e ficarem parados.

Inície: limpe o tonômetro de aplanação, o apoio para o queixo, a tira superior e as alças, se você utiliza protetor de queixo, troque-o. Os pacientes serão muito mais cooperativos com seu exame quando não virem a maquiagem ou marcas de outra pessoa no plástico.

Posicione a cabeça do paciente: posicione o paciente corretamente: queixo no copo, testa contra a cinta superior. Alinhe os olhos do paciente com as marcações na lateral da estrutura de estabilização do paciente. Isto é crucial, pois se não estiver correto, você moverá os pacientes depois que os dois já estiverem em seus lugares.

Instrua o paciente: Fale o que ele precisa fazer e informe quais serão seus próximos passos, isso evita que ele seja surpreendido e o exame fica mais fluído.

Ajustar a cadeira do paciente: mova a cadeira do paciente para cima ou para baixo para obter a altura correta do paciente.

Comece com uma bordagem básica

Primeiro, faça uma observação geral do paciente. Inicie com uma ampliação menor e lute contra o desejo de pular para lesões óbvias. Somente após um exame geral, siga para estruturas mais profundas. Atenha-se a essa ordem para não negligenciar outras descobertas importantes ou sutis.

Exame de retina dilatado

Encontrar a retina demanda prática e a velocidade você vai adquirindo com a memória muscular. Cada lente tem uma distância ideal do olho e da lâmpada de fenda. Indivíduos mais jovens com olhos relativamente saudáveis ​​são os melhores para começar a praticar. Indivíduos mais velhos com patologia como catarata ou humor vítreo antigo dificultam a visualização do fundo e pode ser difícil dizer se sua técnica está errada ou se é apenas uma visão difícil. A abordagem geral é a seguinte:

Configure seu feixe. A fotofobia vai ser seu pior inimigo. Mesmo que você enxergue melhor com uma luz forte, seu paciente pode ficar desconfortável. É melhor usar uma iluminação mais fraca do que ter seu paciente lutando contra você. Mais amplo e mais curto é recomendado quando você está aprendendo as cordas. Um feixe mais curto (5 a 6 mm de altura) ajuda a diminuir a fotofobia e um feixe mais amplo (~ 1,5 a 2 mm de largura) ajuda a integrar o que você está vendo.

Segure a lente a cerca de 5 a 7 mm (varia de acordo com a lente) do olho do paciente com o dedo indicador e o polegar. Apoie os outros três dedos contra a tira superior ou o rosto do paciente. Agora, gire-o para fora do caminho enquanto posiciona a viga.

Alinhe o feixe da lâmpada de fenda para que fique perpendicular ao olho do paciente, passando diretamente pela pupila. Olhando através da lâmpada de fenda, você poderá ver o reflexo vermelho, o feixe deve estar viajando perfeitamente através do centro da pupila e a íris deve estar em foco.

Agora, gire a lente para o caminho da luz e comece a recuar em linha reta.

Dica: Antes de começar a recuar com o joystick e tirar o foco, tente mover a cabeça para o lado e verificar se as lentes estão alinhadas corretamente. Você poderá ver o feixe da lâmpada de fenda atravessando a lente e atingindo a pupila do paciente.

Ao começar a recuar com a lâmpada de fenda, você verá um brilho vermelho nebuloso que deve ficar mais nítido quando você estiver focado. Você também pode mexer com o ângulo da lente e a distância do olho para tentar obter uma imagem mais nítida.

Depois de ver a retina, ajuste a lâmpada de fenda em vez da lente para explorar sua visão. Você pode ajustar para cima, baixo, esquerda e direita.

É bem provável que grande parte de seus pacientes sejam idosos e terão ptose, serão fotofóbicos para qualquer luz ou simplesmente não conseguirão manter os olhos abertos. Nestes pacientes, você terá que abrir a pálpebra. Você pode fazer isso com os dedos 3 e 4 enquanto segura a lente com o polegar e o indicador. É complicado, mas se tornará uma segunda natureza com a prática.

O exame do nervo óptico não dilatado

Quando você já dominou o exame da lâmpada de fenda dilatada, o exame não dilatado será o próximo passo. Esse exame é crucial para pacientes com glaucoma, pois normalmente não dilata-se esses pacientes na clínica, pois isso pode aumentar a PIO desnecessariamente. Aqui está a abordagem geral:

Use um feixe menor para reduzir o brilho refletido na íris. Experimente uma largura de 1,3 mm por uma viga de 3 mm de altura.

Fique atento ao posicionamento, pois ele é fundamental: Faça seu paciente olhar 15-20 ° temporalmente no olho que está examinando, assim ele coloca o nervo óptico à vista quando você olha para dentro. É aqui que você ouve a frase “por favor, olhe para a minha orelha direita” para examinar os olhos esquerdos e vice-versa. Outro bom alvo de referência é a ponta de aplanação goldmann.

Siga os mesmos passos do exame retiniano dilatado, mas perceba que sua visão terá o tamanho da cabeça do nervo óptico, na melhor das hipóteses, e você geralmente não terá uma visão binocular.

Movendo-se nos olhos

Uma das coisas mais frustrantes que os iniciantes experimentam é ser incapaz de mudar significativamente seu campo de visão, uma vez que eles tenham uma boa visão do fundo. Tente o seguinte:

A melhor maneira de mover seu campo de visão é não mover o joystick OU a lente de forma independente. Em vez disso, mova o joystick na lâmpada de fenda e a lente na mesma direção MUITO lentamente simultaneamente. Em exames não dilatados, a única maneira de se movimentar e encontrar consistentemente o fundo e a mácula é usando essa técnica.

Verificando a pressão intra-ocular por aplanação

Um processo que você fará muitas vezes, tirar a pressão intra-ocular por aplanação pode ser mais fácil do que parece seguindo estes passos:

1. Coloque uma gota de corante fluorescente nos olhos do seu paciente.

2. Limpe a ponta de aplanação ou use uma nova ponta: siga as diretrizes da sua instituição.

3. Gire o feixe de luz a cerca de 45 graus da linha média e gire o aplicador para dentro até sentir um clique

4. Ajuste o prisma (a ponta de aplanação) para que ele também fique voltado para a linha média.

5. Vire a lâmpada para a configuração azul, aumente o brilho totalmente. Isso pode exigir o aumento da largura do feixe e da configuração da energia da lâmpada de fenda.

6. Agora, observe as oculares para garantir que você veja que o prisma é horizontal.

7. Incline a alavanca de controle completamente para trás. Isso lhe dá um controle fino para avançar e pousar suavemente na córnea. Se você não fizer isso, acabará sacudindo a lâmpada quando estiver muito perto da córnea. Não apenas seu paciente ficará assustado, como também começará a fechar os olhos reflexivamente quando você se aproximar!

8. Agora, com a alavanca de controle inclinada para trás, avance para 3-5 mm da córnea.

9. Empurre a alavanca de controle para frente, usando seu controle fino para avançar e pousar suavemente na superfície da córnea.

10. Ao fazer isso com sucesso, você verá os espelhos e poderá ajustar o mostrador de acordo.

Conclusão

A Lâmpada de fenda é um equipamento de suma importância para a análise da saúde ocular. Com ele, você pode identificar diversas patologias e acompanhar evoluções de tratamentos. Entretanto, operar este equipamento demanda prática e pode ser complexo para iniciantes. Esperamos que este artigo ajude-o a aprender mais a utilizar a Lâmpada de fenda.

Se você achou este guia útil, deixe seu comentário e baixe o E-Book de Técnicas de Iluminação para Ajudar em seu Exame.

Estas dicas foram obtidas através de artigos da AAO e da equipe do guruEye

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

Este post tem 3 comentários

  1. DI

    Fazer exame sem dilatar deixa sequelas ?fiz este exame sem dilatação há cinco dias e minha visão está muito ruim ,vasos vermelhos apareceram no branco do olho ,ardência ,lacrimejando ,sensíveis a luz que posso fazer ?demora voltar ao normal o olho da gente

    1. Olá,
      Este exame não deve deixar sequelas.
      Recomendamos que entre em contato com o profissional de saúde ocular para um melhor diagnóstico.
      Atenciosamente,

  2. Vilmar

    Ola, bom dia!!! Achei interessantíssimo o artigo, para mim que estou iniciando na área de iridologia.

Deixe uma resposta

Social Media

Mais Populares

Receba as últimas notícias

Se Inscreva para receber conteúdos especiais

Receba notícias e conteúdos da Martinato.

Receba Notícia
body {background-color: transparent !important; }

Arquivo

Encontre o post por mês

Categorias

Outros

Posts Relacionados

Câmera do olho

Câmera inteligente, o Olho.

E se eu te disser que nossos olhos e as câmeras fotográficas têm muito mais em comum do que pensamos? O olho captura imagens semelhantes às da câmera fotográfica.